sábado, 31 de maio de 2008

Moeda de duas faces

De várias características que nos fazem únicos, os humanos têm uma em especial que os distingue:

Racionalidade.

Pensamos. Ou julgamos que pensamos. Muitos de nós apenas vegetam durante o seu ciclo de vida mas uma parte ainda consegue usufruir da massa cinzenta que tem na cabeça. Eu? Eu pertenço aos que a usam.

Pensar para perceber o que nos rodeia. Penso porque não sou nem quero ser igual aos ignorantes que encontro todos os dias. E não me arrependo de o fazer. Tudo é dual e eu alojo os prós e os contras dentro de mim, de livre e boa vontade.
Aprendi com Personne que "Pensar faz doer a alma" e que na ignorância se encontra a felicidade. Mas é uma felicidade superficial, sem sentido. A pouca felicidade que a consciência nos traz vale mais que toda a felicidade vinda da ignorância, pois a primeira é rica, única e muito mais forte que esta última.

Passar uma vida na ignorância sem procurar o conhecimento não é viver... É desperdiçar. Desperdiçar uma vida de possibilidades e de objectivos. Desperdiçar-nos neste mundo misterioso e intrigante.

Eu prefiro não me desperdiçar e seguir em busca daquilo que me encherá a alma, pois apenas o que nela guardar passará comigo para uma próxima vida.

O Eterno Aprendiz

16 comentários:

Kath disse...

Como podes dizer que uma felicidade que advém da ignorância é sem sentido? Pertencendo tu aos que pensam, que sabes da felicidade dos que vivem na ignorância? E, mesmo tendo tu sido como eles, um dia, na altura achavas que essa tua felicidade era superficial? Se eras ignorante, não podias, ou deixarias, imediatamente, de ser ignorante. Quando és feliz por não saberes, és feliz.

Podes conhecer felicidade superficial pensando, mas não sendo ignorante.

PayNe disse...

É porque penso que sei que a sua felicidade é superficial. Que os distinguirá de um rebanho de ovelhas, se não o facto de pensarem?
Porque hoje em dia o ser humano comporta-se como gado: ele segue cegamente as ordens do pastor, que invariavelmente conduzem a morte.

Eu não sou gado de ninguém. Nem pretendo ser.

Kath disse...

O pastor é a sociedade. E a sociedade são as pessoas. São o rebanho de si mesmas.

Podes recriminá-las por isso? Por serem felizes?

Francisco Norega disse...

Também detesto esta "sociedade-rebanho". A kath também tem razão, à sua maneira, mas compreendo perfeitamente o que queres dizer. E identifico-me com as ideias ;-)

btw, tenho de falar contigo sobre umas cenas que envolvem o fim da sociedade como a conhecemos hoje. Deixa-me só organizar as ideias xD

PayNe disse...

Nao. Os pastores sao os lideres da sociedade e os media. Fazem parte da sociedade mas sao uma minoria. As ovelhas limitam-se a segui-los cegamente.

Sim chefinho! Tenho impressao que vou gostar das ideias, hehehehee >)

Kath disse...

E quem é que fez a sociedade? Não há nenhuma sociedade só de líderes. Os media idem. Eles fazem as coisas para agradar às massas.

PayNe disse...

Agradar as massas nao. Para dominarem as massas, e a expressao correcta. O que os lideres e os media querem e dominar, e nao agradar.

Ai e que esta o busilis da questao.

Leto of the Crows disse...

*cof cof* Ordem no tribunal, meus senhores e senhora, porque a senhora da razão chegou... me!!

"Pastores e rebanhos" Sabem, não concordo. Prefiro ver isto com uma alcateia esfomeada, que persegue os cordeiros, onde muitos deles se deixam enganar, ingénuos, sem se darem ao trabalho de pensar (aqueles que são apanhados e devorados), e outros nem por isso. Contudo dentro dos "outros nem por isso" existem aqueles que lutam por o que querem e fogem, ou tentam fazê-lo incansavelmente, e os que, apesar de não serem cegos, se deixam levar pelo rebanho ingénuo. E este último grupo é uma maioria.
Sobram os poucos que tentam mudar o mundo... mas o problema reside aí, são POUCOS.

Depois desda conversa da treta, faço uma pequena síntese. Todos, ou grande parte de nós, racionalizam e sabem o que querem, mas não lutam por isso, ou desistem a meio da luta, por cansaço ou covardia.

Kath disse...

A única maneira de dominar as massas é agradando-as. Como pensas que os media têm tanta audiência e são tão "respeitados" e tidos em conta hoje em dia, principalmente a televisão? Não são os Morangos que influenciam hoje a vida de milhares de jovens? Como é que eles fazem isso? não me parece que lhes dêem marretadas para os obrigar a vestir-se e falar como os actores fazem. E isto é um exemplo.

PayNe disse...

Sim, os media dao as massas aquilo que elas "querem ver" e nao o que "deviam ver". Num mundo cada vez mais ilusionista, muita gente hoje em dia vive num sonho, porque ve essas tretas dos morangos e pensa que a vida e uma telenovela. Eu que ja nao vejo televisao e tento viver muito terra-a-terra descubro todos os dias coisas que nunca imaginava poderem existir...

Apenas os lideres politicos e que nao dao as massas o que elas querem mas tambem as massas nao fazem nada para o contrariar e deixam-se levar pelos caprichos cada vez mais prejudiciais destas sanguessugas do poder e da riqueza...

Deveras, a anarquia me parece aliciante...

Black Dahlia disse...

"..... um pouco chocante o teu post...."

não és a primeira pessoa a dirigir-se para mim nesses termos, devo disser. a maior parte das pessoas que me conhece ficou meio chocada, deviam achar que eu nunca chegaria a esse ponto... a questão basica é que nem eu prorpia achava que chegaria a faze-lo. achava que tinha medo da dor fisica. é que tenho um historial meio conturbado em relação a tentativas de suicidio, mas nunca antes me passou isso pela cabeça.
mas num dia aconteceu... estava tao consumida pela angustia e pela raiva que nem senti dor, fiquei foi maravilhada pela beleza do sangue a sair das minhas veias (é uma cena morbida, deixa lá)
o mais estranho talvez, é que pouco depois tirei umas fotos com sangue pelo meio, com um pequeno golpe, e houve quem visse e ficasse ainda mais chocada comigo

a questão dos danos agora deixa-me um pouco embaraçada. sinto que as pessoas que nao me conhecem me olha de esguelha quando vêm o estado dos meus pulsos. ando constantemente a esconder as cicatrizes.
mas não ligo muito. ja estou perfeitamente habituada a ser olhada de lado... a nossa sociedade é muito simpatica com as pessoas que têm um aspecto diferente.

"Ja me senti com vontade de me auto-flagelar mas sinto que nao esta na minha natureza faze-lo"
ainda bem, por ti :)

"Apenas conselhos de uma pessoa que se interessa por ajudar os outros"

tens geito para isso.
nao percebo porque consigo desabafar contigo... mas o facto é que consigo.

thanks
;)

Black Dahlia disse...

em relação ao teu post, pensar faz doer muito a alma, pelo nenos a alma dos que pensam demais,
e havera sempre os que pensam demais mas chegam a uma certa estabilidade, e conseguem construir uma a sua propria definição de felicidade

e a felicidade tem uma definição muito vaga... depende apenas da visão que cada um tem de felicidade.
que no fundo só se chega a ela pensando... pelo menos é o que eu penso

e embora sejamos unicos pela racionalidade, ja me suspreendi muito com alguns seres irracionais
a certeza que o meu pobre falecido gato, sabia perfeitamente quando eu estava triste, só pelo modo como me encarava com os seus grandes olhos verdes e interagia comigo... ele conpreendia-me a sua maneira, mesmo sendo irracional.

é tudo

:)

Black Dahlia disse...

"Percebo o facto de nao teres sentido dor... Foi como se te sentisses atraida para tal gesto e nada mais importasse que isso.... certo?"

certo

"Fico feliz por conseguires desabafar comigo. ;) Gosto de saber que faço bem as pessoas, mesmo que seja so um bocadinho. :)"

não entendo bem essa tua faceta, se bem que me fascine um pouco.
eu aqui. rodeada de pessoas, algumas que me querem bem, outras nem tanto... e eu sinto-me muio mais livre, e consigo-me expressar mais naturalmente para alguém que não se materializa a minha frente, que não está aqui, alguém que não me pode dar mais nehum consolo que as palavras, mas ao mesmo tempo essas palavras serem as que eu queria ouvir...
;)

nem sei que pense... acho que preciso de arranjar alguém que tenha vocação para anjo da guarda, ou alguém que se materialize a minha frente, mas que ao mesmo tmpo, se comporte apenas como o computador, e seja confortador, mas apenas com as palavras...

__________________


"Eu por mim, viveria feliz se pudesse sustentar-me a partir de algo que gosto de fazer e se conseguisse manter pelo menos um hobby constante, tudo vivendo em comunhao com a natureza (adorava poder fazer uma vida nos montes verdejantes da Escócia ou Irelanda.... Apela tanto a epoca medieval...."

devias gostar da minha terrinha... eu moro rodeada por montes... vivo numa aldeia muito perto de uma vila, mas ao mesmo tempo não deixa de ser uma aldeia...

as vezes é um pouco clautrofobico, estar rodeada de quase nada, com gente tão pouco cativante...

mas tenho sempre a paz do verde, e das cores do monte, consoane as estações..
ainda no sabado estava no meio do monte a sentir o cheiro de tudo, sentia-me tão reconfortada enquanto observava as flores da estação, e ao mesmo tempo estava admirada porque ja havia muitas novas flores abertas, que não havia na semana passada...

depois cheguei a casa e constatei que as minhas rosas favoritas ja estavam a abrir...

é consideravelmente diferente que viver numa cidade, eu sei.

tive este ano essa experiencia, com a minha ida para a faculdade. se bem que as coisas não me correram muito bem, constatei que estava num curso completamente errado para mim.

o problema é que eu não sei o que certo para mim... por mais teste de orientação vocacional que faça, por mais pesquisas que faça, não sei o que certo. sinto-me muita apreensiva em relação a decisão que vou ter de tomar mais tarde ou mais cedo... por enquanto vou perdendo o tempo com uns livros, e a pensar em estudar novamente para os exames nacionais do ensino secundario....

"Obrigado por estas conversas! :) Preciso disto!"

gostas de fazer as pessoas sentirem-se bem, ou coisa assim, é?

:)

Black Dahlia disse...

bem eu por acaso tambem adoro animais, se bem que não va seguir veterinaria porque ja tenho um veterinario em casa, o meu mano...
ja tive algumas experiencias engraçadas a custa dele e dos seus pacientes de 4 patas :D

quanto ao livro é mesmo muito bom, recomendo vivamente.

"Sempre que conheço alguem que se encontre num periodo menos bom (alguem amigo, va), tento sempre animá-los com algumas palavras, sugestoes ou mesmo uma musica. Algo simples e que muitas vezes nao sei se vai resultar ou nao. Mas a maioria das vezes resulta"

talvez tenhas vocação para isso, para ajudares os outros que te rodeiam ;)

em relação ao futuro, tenho muitas duvidas. este ano tentei engenharia biomedica, mas não correspondeu as minhas espectativas, muito pelo contrario, e acabei por sair a meio do 2º semestre...

meu mal é que gosto de tantas coisas, não me consigo direcionar para algo em especifico.

mas eu vou continuar a tentar.. ja passei demasiado tempo da minha vida na depressão, tenho de cura-la uma vez por todas

só tenho é de conseguir levantar a cabeça e ir a luta...

vou tentar... por mim :D

Black Dahlia disse...

gira a bd :)

quanto ao futuro, psicologia sempre foi uma opção a ter em conta, por muitos motivos.

mas acima de tudo, para me tentar compreender melhor. a minha cabeça parece feita de um modo diferente das outras, só aprofundando os meus parcos conhecimentos em psicologia é que poderia compreender-me melhor, e aos outros.

abraço
:D

Black Dahlia disse...

a musica é dos grandes Ornatos Violeta, "capitão romance"

cada vez que a ouço da-me vontade de encher a cara de alguém de porrada, embora a letra seja extremante bonita.

é estupido como eu tenho a mania de associar musicas a pessoas e depois é uma grande porra :(

....

ando a diverti-me a ler freud e outros. é uma coisa muito relaxante. e ao mesmo tempo fascinante, ter a noção da complexidade da mente humana. se bem que devia era estudar em vez de ocupar o tempo com isso.

:)
.

fico a espera de um novo post no teu blog.