quarta-feira, 2 de abril de 2008

Egiptian Valkyrie


Nascida nas tepes de um país do norte, ela é uma guerreira sanguinária famosa, conhecida pelos guerreiros, temida pelos senhores. Filha de um pai viking e de uma mãe egípcia, esta guerreira é uma mistura exótica de beleza destrutiva e de violência sedutora.
Desde muito cedo se mostrou interessada nas artes bélicas. O seu corpo cresceu largo e maciço, mantendo as formas femininas. A sua mente, perspicaz e audaz como uma raposa, rápida e precisa como um falcão, evoluiu bastante depressa para uma criança da sua idade e rapidamente ganhou lugar e fama por entre os entes da sua tribo nómada. Os seus pais foram os seus professores, e que melhores professores poderia ela ter tido? Da agilidade no manejo de armas, à eficácia do seu jogo de palavras e de olhares, duas culturas cresceram neste prodígio da natureza favorecido pelos deuses de ambos os lados. E até Afrodite e Perséfone lhe deram a bênção, tornando-a terrivelmente bela.
Os seus olhos são dois troncos de árvore, duas amêndoas acastanhadas e quase líquidas reunidas no centro de poças de leite materno. O seus lábios rosados e volúveis apelam ao hipnotismo, deixando qualquer um embasbacado pela sua perfeição e suavidade. Ambas estas entidades assentam num rosto oval e curvilíneo, de bochechas ligeiramente rechonchudas. Um nariz empinado e fino, estranhamente sedutor divide a simetria da sua cara. Fios de negro ébano caem do topo da sua cabeça, longos fios ondulados e espessos que se deixam acariciar pelo vento criando ondas como que chamando o espectador a ir ao seu encontro. Deles se desprende um aroma mágico e afrodisíaco de jasmim, trazendo à loucura um qualquer macho da sua espécie. O seu corpo ondulado e em forma é um desejo tornado realidade. De ancas largas e peitos firmes, ela apresenta medo de ninguém e caminha de cabeça erguida e de costas direitas, desafiando quem lhe aparece pela frente. Mantendo-se entre a escuridão e a luz, permanece um pescoço comprido de pele lisa e pálida, suave ao toque e viciante ao beijo... Toda ela é um ícone à beleza e à sedução....
A sua pintura de guerra torna ainda mais selvagem esta beleza de dois mundos. A sombra negra dos olhos aumenta a sua ferocidade que é contrabalançada pelos traços negros que alongam os amendoados olhos... Uma pintura negra obscurece os seus lábios rosados, tornando-se maquiavélica quando ela lambe o sangue das suas armas e pequenas gotas descem pelos seus lábios e queixo, deixando-a estremecendo de prazer sádico e de pura raiva guerreira.
Armada com dois machados de guerra curvos, de origem nórdica, ela aparenta ser um remoinho sangrento no meio da batalha. A cavalo, nas suas investidas mortais, uma espada comprida e larga balança com os seus poderosos braços, decepando as cabeças ignóbeis dos seus inimigos, juntamente com um grito de libertação vindo do seu âmago, tal tigre no final da caça.

A doce sensualidade de uma guerreira, que me mesmeriza continuamente....

3 comentários:

Leto of the Crows disse...

Essa senhora não me parece muito amável, não a queria ter como amiga xD

Mas a descrição está óptima, sim senhor ^^

Beijinhos***

PayNe disse...

Oh, mas é. É um nectar viciante que uma vez bebido, nos não deixa largá-lo. É um perfume sem a qual não se pode viver. Roubanos o ar que respiramos...

é mistico....

Kath disse...

Descrição engraçada. E eu adivinhei que ia ter cabelos negros. ^^