segunda-feira, 24 de março de 2008

Love=Pain

For Love we do many things. For Love, impossibilities become possible but consequences come...

I'm a Lover and the feeling is abundant in me. I ache for Love and I crave for showing my love to someone. But I ache... My heart aches and my soul screams... Because I have no one to give my love to...

There is a space in me that needs to be filled. The space grows with each passing day and those who have filled it for not long they stayed... Now I plant a signal to welcome to stay, but it is not answered...

I drown in grief for not being able to free this huge feeling that grows in me and become desperate. But I'm patient and I shall wait, because Life is made of opportunities and I shall make mine.

5 comentários:

Kath disse...

É claro que tens a quem dar o teu Amor. A todos. Portanto não sejas forreta.

P.S. Não foste é forreta com as reticências, estou a ver.

PayNe disse...

Forreta eu??? Bolas! Muito de mim ja eu dou a toda a gente... E nao posso amar assim sem mais nem menos... gosto de partilhar mas nao tanto. xD

Francisco Norega (eragon369) disse...

LOL Eu estou atento às tuas blogações, mas até agora não tenho muito a dizer. Este comment foi só mesmo para marcar presença XD

As "melhoras" lol

The Black Dahlia disse...

"Amar é cansar-se de estar só: é uma covardia portanto, e uma traição a nós próprios (importa soberanamente que não amemos)" Fernando Pessoa

É por isso que a amar nos provoca tantas dores, porque nos esquecemos de nos mesmos e de nos amar-mos acima de tudo
(esta ultima é aplicavel a quem ainda tem amor proprio, o que não é o meu caso)

PayNe disse...

mas eu tenho uma necessidade de amar. Eu preciso de amar para viver. O problema passa por amar as coisas erradas.... Amo a fantasia, amo a magia, amo quem não me ama....

Quando devia amar-me a mim, amar a Terra, amar quem me ama...

Um paradoxo que me deixa numa encruzilhada...